Crivella sela acordo com Lindbergh



RIO - O candidato derrotado do PT ao governo do Rio, senador Lindbergh Farias, oficializou na tarde desta quarta-feira na Associação Comercial, no Centro, o apoio no segundo turno ao senador Marcelo Crivella (PRB). O anúncio ocorreu um dia depois de o deputado federal Anthony Garotinho (PR), também derrotado nas urnas no último domingo, aderir à campanha do bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd).

Pressionada pelo governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), que tenta a reeleição, e pelo ex-governador Sérgio Cabral (PMDB), a direção nacional do PT liberou seus filiados no estado para apoiar quem quisesse, como mostrou o GLOBO nesta quarta-feira. O partido decretou neutralidade na disputa estadual.

O PMDB é o maior aliado da presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) no Congresso. Nos bastidores, o ex-presidente Lula avaliou que um acordo formal do PT com Crivella no Rio prejudicaria a campanha de reeleição de Dilma. De acordo com Lula, isso motivaria ainda mais o movimento “Aezão”, formado por parte de integrantes do PMDB para pedir votos para o candidato Aécio Neves (PSDB) à Presidência e para Pezão.

— A direção nacional do PT nos pediu para não dar pretextos ao Aezão, para que não formalizasse o apoio ao Crivella. E, atendendo aos interesses da campanha da Dilma e do PT nacional, nós não formalizamos. Mas a traição do PMDB do Rio a Dilma é um fato — disse o presidente regional do PT, Washington Quaquá.

Agência O Globo / Gustavo Miranda