Alerj vai propor penas severas a responsáveis por queimadas

 

Prejuízo em Petrópolis ultrapassa os R$ 52 milhões

Penalidades severas aos responsáveis por queimadas no Estado do Rio vão entrar em pauta na forma de projetos de lei na Assembleia Legislativa do Estado (Alerj). Os projetos estão sendo propostos pelo deputado estadual Bernardo Rossi (PMDB) com embasamento técnico do Corpo de Bombeiros. Bernardo recepcionou o governador Luiz Fernando Pezão que sobrevoou a cidade nesta quinta-feira (16.10) pela manhã em vistoria a uma das piores situações de fogo em vegetação registradas em Petrópolis que ocorre há uma semana e que já consumiu 2.600 hectares incluindo 600 hectares do Parque Nacional da Serra dos Órgãos.

A recuperação ambiental de cada hectare é avaliada em pelo menos R$ 20 mil por especialistas em Meio Ambiente. “O dano em Petrópolis é estimado em R$ 52 milhões, mas o prejuízo ambiental é incalculável.  A punição por uma queimada chega a R$ 1,5 mil a R$ 2 mil por hectare. Sem contar as dificuldades em identificação de incendiários criminosos. Uma legislação mais severa precisa estar em vigor”, defende Bernardo Rossi.

Os oito focos de incêndio estão sendo combatidos por 600 homens dos Bombeiros em quatro aeronaves. Outros quatro helicópteros chegam à cidade nesta sexta-feira. A previsão do Secretário estadual de Defesa Civil, Sérgio Simões, é de debelar os focos em até 72 horas. “A situação é grave, mas sob controle. Estamos aqui para, de perto, garantir que todos os meios estão sendo colocados à disposição pelo Estado”, afirmou Pezão. O governador não descartou possibilidade de pedido de ajuda ao governo federal e às Forças Armadas, mas assegurou a pontualidade das operações na cidade. “Quatro focos estão dentro do Parque Nacional da Serra dos Órgãos e quatro na Reserva Biológica de Araras. Além destes, temos focos pontuais que estão sendo combatidos”, afirma Simões.

Ainda pela manhã, as equipes combateram focos próximo a residências em Secretário e no Calembe. Bombeiros estiveram ainda em áreas às margens da BR-040 como em Barra Mansa e na altura do Castelo de Itaipava. Desde o início das operações em helicópteros pelo menos 400 mil litros de água foram usados em lançamentos sobre as chamas.  

“Há a indicação também que o governo do Estado e as entidades envolvidas engajem a população pelo Disque-Denúncia. O número (21)2253-1177 que recebe mensalmente mais de 12 mil ligações em sigilo hoje é um canal importante para o combate à criminalidade e os incêndios em vegetação são crimes contra o ambiente e contra a população”, aponta Bernardo Rossi.

A vistoria do governador Pezão foi acompanhada ainda pelo presidente da Câmara, Paulo Igor, e pelo vereador Maurinho Branco (SDD). “O legislativo petropolitano se soma aos esforços de haver principalmente prevenção. Hoje, a situação requer o pronto combate às chamas, mas estamos dispostos a abrir a casa para debater legislação, buscar recursos, aumentar efetivo, enfim, o que puder ser feito para que estado e município atuem juntos em prevenção”, afirma Paulo Igor.

Via ASCOM

Comentários