terça-feira, 16 de setembro de 2014

PRONTO SOCORRO EM PETRÓPOLIS É PIOR QUE UM CHIQUEIRO



A vereadora Gilda Beatriz descobriu o que eu e toda população petropolitana já sabemos faz tempo, o governo do médico Dr. Rubens Bomtempo é o pior que a saúde petropolitana já enfrentou incluindo seus primeiros oito anos no poder, quem ofereceu essa segunda chance ao político que sonha em ser ministro da saúde agora deve estar satisfeito. (Minha opinião). Leia o que postou a legisladora que esta de parabéns pela coragem de colocar a boca no mundo:


''Quero compartilhar com vocês a minha indignação pelo que vi hoje no Pronto Socorro do Hospital Municipal Nelson de Sá Earp. Devido a uma denúncia, estive lá e fui surpreendida pelas péssimas, inadmissíveis, condições da ala de psiquiatria. As fotos falam por si. O hospital sofreu reformas em várias dependências, mas na psiquiatria... Vejam como está insalubre e perigoso para pacientes com transtornos mentais! A quem responde o Poder Público? Não podemos permitir que o paciente seja discriminado até dentro do hospital. Mais uma vez o governo mostra sua total insensibilidade com os pacientes psiquiátricos. VIDE SANTA MÔNICA, mas estou encaminhando denúncia ao Ministério Público.'' 

Em outro post a vereadora publicou as fotos abaixo com o texto:

''Abaixo mais fotos do caos que se tornou o atendimento médico pelo SUS em nossa cidade. O Pronto Socorro não dispõe de macas o suficiente. Por isso o Corpo de Bombeiros, ao levar um paciente para lá, ficou retido no hospital pois não podia retirá-lo da maca que o transportou sem que houvesse outra para substituí-la. Fui autorizada pela família da paciente com câncer a fotografá-la, ela estava urinada há cerca de 10 horas, esperando transferência. Outra paciente com trombose, sentada em cadeira odontológica com as pernas para baixo!!! Casos que revelam a omissão do Poder Público. O corpo clínico do Pronto Socorro é insuficiente. Faltam enfermeiros e auxiliares de enfermagem, e ainda existem numerosos casos de afastamento por licença médica. Com isso, os profissionais de plantão ficam sobrecarregados, não podendo dar a atenção que gostariam. Farei uma denúncia no Ministério Público. Acredito que algo possa ser feito. Não podemos aceitar que o Poder Executivo continue tratando de forma desumana pacientes fragilizados, como também negando condições de trabalho dignas para o pessoal da saúde.'' Gilda Beatriz

Nenhum comentário: