quinta-feira, 10 de julho de 2014

VERGONHA! Praça da Liberdade novamente em destaque nos jornais do estado após obra milionária

Quatro dias após a publicação de uma matéria do jornal O Globo sobre 14 mil políticos com a ficha suja onde o prefeito de Petrópolis Rubens Bomtempo teve sua foto estampada, nossa cidade volta a ser destaque negativamente na grande imprensa com a Praça da Liberdade após a reforma milionária que chocou o estado. Leia:



PETRÓPOLIS - Três meses após a inauguração das obras de revitalização – um investimento de R$ 1,9 milhão – a Praça Rui Barbosa, mais conhecida como “Praça da Liberdade”, no Centro histórico de Petrópolis, na Região Serrana, apresenta sinais de degradação e falta de manutenção. Sem fiscalização por parte da Guarda Municipal, a praça sofre com a ação de vândalos. No ano passado, a área de 20 mil metros quadrados, tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), passou por obras durante quase oito meses e recebeu R$ 1.102.502 em obras, e R$ 800 mil em iluminação pública - parte dos recursos financiados pelo Ministério do Turismo.

A revitalização foi inaugurada no início de abril. Cerca de três meses depois, moradores e frequentadores reclamam de lâmpadas queimadas ou apagadas, fiação exposta, gramados e jardins destruídos, além de poças d'água e brinquedos quebrados no parquinho infantil, e lixo dentro do chafariz. Eles dizem que as ações de vandalismo ficaram piores após eventos realizados pela Prefeitura de Petrópolis em dias de jogos do Brasil na Copa, quando um telão é instalado no local, e uma multidão se aglomera para acompanhar as partidas.

– Os gramados e jardins são pisoteados. Depois do jogo, eles colocam funk para tocar, e parte da praça fica às escuras. Isso aqui vira terra de ninguém. O cheiro de urina fica insuportável, porque as pessoas fazem xixi pelos cantos e nas ruas próximas. Num dia desses, tinha um rapaz caído ali perto do ponto de táxi. O grupo que estava com ele não conseguia levantá-lo do chão. É uma vergonha que uma área que recebeu uma obra que custou tão caro fique largada desse jeito - diz Maria da Conceição dos Santos, que trabalha próximo à praça.

Na quarta-feira, o dia seguinte ao jogo do Brasil, ainda era possível ver, por volta das 12h, garrafas de bebidas espalhadas no que restou do gramado, além de lixo dentro do chafariz.

— As pessoas precisam se divertir, mas esta praça aqui não tem espaço para este tipo de evento. No princípio chegaram a quebrar algumas lixeiras e a prefeitura consertou, mas o gramado e os jardins só poderão ser refeitos depois que os jogos acabarem — comentou Ricardo Braga, que há 14 anos tem uma banca de jornal na praça: — Nos dias de jogo eu prefiro fechar a banca e ir pra casa, porque não tem condições de trabalhar aqui.

— Essa obra deixou a praça fechada durante muito tempo, gastaram um valor alto e não vimos melhorias. O jardim bonito que havia aqui, com plantas e flores, foi retirado e colocaram esse gramado, que já está destruído — criticou a costureira Luzinete Guimarães, que frequenta a praça com a neta.

Além da destruição do gramado e dos jardins, é possível ver fiação exposta no chão em alguns pontos, o que também preocupa.

— Eles precisavam ver isso, porque pode acontecer um acidente. Alguém pode levar um choque aqui. Não sei se essa fiação está ligada, se está passando energia, mas é perigoso. Muitas crianças pequenas brincam aqui — alertou a babá Aparecida Santos.

Os problemas continuam no parquinho infantil, que tem brinquedos quebrados e poças d’água na área utilizada pelas crianças.

— Gastaram tanto dinheiro para agora vermos tudo assim. Brinquedos novos já estão quebrados, e o parquinho está cheio de poças d’água. Não dá para as crianças brincarem — disse a babá Vera Lúcia Almeida.

A massoterapeuta Karine Fornari chama atenção para a falta manutenção e de informações sobre o uso de brinquedos para deficientes:

— Um deles está quebrado. O outro parece estar bom, mas não existe qualquer explicação de como ele funciona. Poderia ter uma placa aqui com explicações. Infelizmente vemos nessa praça um exemplo de dinheiro mal aplicado.
Leandra Hang, que passa diariamente no local, acrescenta que os atos de vandalismo acontecem com frequência na praça.

— O vandalismo e as pichações sempre acontecem aqui, não é só nos dias de jogo. Não vemos uma viatura ou um guarda municipal por aqui. As pessoas fazem o que querem. É comum ver as crianças andando de bicicleta em cima do gramado. Moro aqui perto, e muitas vezes vejo que durante a madrugada adolescentes e adultos entram no parquinho. Antigamente essa área ficava fechada à noite, e havia uma placa no portão de entrada limitando a idade para uso dos brinquedos. Hoje isso não existe mais. É uma pena, fico chateada em ver isso — disse.

A prefeitura informou que dispõe de uma equipe apelidada de “Amiga da Praça” para fazer a limpeza, reposição de lixeiras, pintura de bancos, recuperação do jardim e dos monumentos pichados no local. Segundo a assessoria, o peso limite para os brinquedos deve ser respeitado pelas crianças, Em relação a fiação, a Secretaria de Obras informou que os reparos já estão sendo feitos, assim como a substituição de refletores. A prefeitura estuda ainda a possibilidade de instalar câmeras de segurança no local.

Ainda segundo a prefeitura, atualmente uma equipe da Guarda Civil, com dois homens e um carro, faz o monitoramento da área durante o dia, das 8h às 20h. Dois homens permanecem no local (centralizados no Centro de Informação Turística) durante a noite, das 20h até o dia seguinte, pela manhã. A Secretaria de Segurança Pública vai reforçar com as equipes a necessidade de fiscalização e orientação permanentes.

Nenhum comentário: