terça-feira, 1 de julho de 2014

Um recado para os vereadores de Petrópolis


No último pleito municipal a população petropolitana expressou nas urnas sua vontade de renovar 66,6% do legislativo municipal, ou seja, apenas o presidente da casa, vereador Paulo Igor (PMDB), e os vereadores Silmar Fortes (PMDB), Jorginho Banerj (PSB), Thiago Damaceno (PP) e Vadinho (PSB) foram reeleitos. A renovação foi maior do que a das eleições de 2008, quando oito cadeiras (53%) receberam novos vereadores.

Na disputa para a Câmara, foram 22.851 votos brancos e nulos, correspondendo a 11,62% do total dos votos. Dos votos válidos, foram 160.852 (92,5%) votos nominais (em candidatos) e 13.045 (7,5%) na legenda (nos partidos). 

Os números apresentados não devem ser esquecidos, a cada dia aumenta a insatisfação de maneira geral com a política e com a figura do político tradicional, em Petrópolis, o desgaste natural enfrentado pelo prefeito Rubens Bomtempo após 10 anos no poder tende a aumentar após a decisão de seu partido o PSB de apoiar candidatos fora do poder nas eleições presidenciais e na corrida pelo governo do Rio, no abc da política, significa meses difíceis para cidade, em ano eleitoral é um pratica comum quem esta com a caneta em mãos trancar o cofre para adversários e investir pesado em aliados, em crise, a Cidade Imperial esta a beira de um colapso. 

Um governo em impopular coloca em evidência as funções do legislativo, mais sensível à pressão da imprensa e da população de maneira geral, a Câmara Municipal não precisa ser necessariamente oposição, mas a independência deve estar clara para a população que já parece ter deixado evidente sua vontade: “Ou a casa muda de postura e cumpre o seu papel, ou o povo muda a casa.” 

#ficaAdica Camarão Que Dorme A Onda Leva! 

Um comentário:

Categorias de base Tigres do Brasil disse...

Certamente o Povo que paga os impostos e consequentemente a conta, não aguenta mais o descaso que os Políticos Eleitos têm após se elegerem e que dura 3,5 anos, ou seja até a próxima campanha eleitoral,onde todos voltam a ser santos e bonzinhos de novo.