domingo, 6 de julho de 2014

Senador Francisco Dornelles é o novo vice na chapa de Pezão


RIO — No último dia para o registro dos candidatos que vão concorrer à eleição deste ano, o PMDB do Rio anunciou que o vice na chapa do governador Luiz Fernando Pezão, candidato à reeleição, será o senador Francisco Dornelles (PP) e não mais o deputado estadual Felipe Peixoto (PDT).

O governador se reuniu por volta do meio dia com o presidente do PDT, Carlos Lupi, para tentar disuadi-lo da ideia de se lançar candidato avulso ao Senado. Como Lupi não desistiu, o PDT saiu da chapa de apoio à reeleição de Pezão.

- O vice será o Dornelles. O Lupi não aceitou abrir mão da candidatura para o Senado - afirmou Pezão ao GLOBO.

Depois de se reunir com o PDT na Fundação Leonel Brizola Alberto Pasqualini, no Centro do Rio, o governador seguiu para o escritório do advogado do PMDB, Eduardo Damian, também no Centro. Ao sair do encontro ao lado do advogado, Pezão confirmou em primeira mão para o GLOBO que o PDT estava fora da chapa por conta da insistência de Lupi em ser candidato avulso ao Senado.

A atitude do presidente do PDT de se lançar na disputa pelo Senado de forma independente aconteceu depois que o ex-prefeito Cesar Maia (DEM) foi confirmado na chapa majoritária de Pezão. Indignado, Lupi disse que seria candidato de forma independente, mas afirmou que o PDT continuaria integrando a coligação de apoio a Pezão. O pedetista fez uma consulta ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) antes de tomar a iniciativa, mas ainda não obteve resposta. Lupi, no entanto, dizia que decisões anteriores do tribunal amparavam sua candidatura independente.



- Não há nenhum problema jurídico. O PDT saiu da chapa - afirmou Damian.

Nos bastidores, circulou a informação de que o PMDB temia correr um risco jurídico com a candidatura avulsa de Lupi. Haveria a interpretação de que, se Lupi saísse como candidato avulso e fosse para a TV só com o tempo do PDT, Cesar seria obrigado a seguir o mesmo caminho e ficar só com o minuto do DEM. Além disso, os suplentes teriam que ser do partido do ex-prefeito, uma vez que ele não poderia se coligar com ninguém. Isso traria impactos na aliança, já que os suplentes são de outros partidos.

- Acho que foi justificativa, que pode até ter procedência, mas o que eles queriam mesmo era um palanque exclusivo para o Aécio Neves - afirmou Lupi.

Entre os grandes partidos que integram a coligação do governador, apenas o PDT faria campanha por Dilma.

FELIPE PEIXOTO NÃO DISPUTARÁ ELEIÇÃO ESTE ANO

Felipe Peixoto, que vinha acompanhando Pezão nas agendas, disse que, agora que não é mais o vice na chapa de Pezão, não vai disputar as eleições este ano:

- A minha decisão é de não ser candidato a mais nada. Chegou ao ponto que chegou e não teria sentido em voltar à candidatura de deputado federal. Eu sou o vice do coração dele (Pezão) e vou me dedicar à campanha dele.

Depois da entrada de Cesar Maia na chapa de Pezão, os pré-candidatos Anthony Garotinho (PR), Lindbergh Farias (PT) e Marcelo Crivella (PRB) ofereceram a vaga de vice ao PDT. As hipóteses, assim como a possibilidade de o PDT lançar Felipe Peixoto como candidato a governador, foram discutidas na reunião da Executiva do partido hoje. Mas, ficou decidido que o partido vai ter Lupi concorrendo ao Senado e que haverá apoio informal a Pezão. Apesar disso, os dois secretários estaduais do PDT entregaram os cargos ao governador, durante a reunião na fundação do PDT.

'PICCIANI QUER SE VINGAR DE DILMA E LULA', DIZ LUPI

O presidente do PMDB do Rio, Jorge Picciani, pressionou para que Lupi retirasse sua candidatura avulsa.

- Eu já falei para o Lupi. Não tem cabimento essa candidatura dele. O candidato da nossa chapa é o Cesar Maia. Se o Lupi não tirar a candidatura, o PDT está fora da chapa e o Felipe Peixoto não será o vice. Caso isto ocorra, o nome do (senador) Francisco Dornelles é natural para essa vaga de vice - disse Picciani ontem.

Lupi disse que Picciani busca se vingar do ex-presidente Lula e da presidente Dilma Rousseff:

- Meu amigo Picciani trabalha com o ódio. Ele ficou com ódio do Lula e da Dilma porque eles apoiaram Crivella e não ele na disputa pelo Senado em 2010. Ele resolveu se vingar, abrindo palanque para Aécio. Infelizmente, ele atirou até em quem não merecia, como eu, que sou amigo dele há 30 anos.

O PMDB do Rio fez sua convenção no dia 26 de junho e, lá, Felipe Peixoto foi apresentado como vice. O grande banner atrás do palco tinha, inclusive, uma foto do pedetista junto com a do governador.

O senador Francisco Dornelles tinha aberto mão da reeleição para que a vaga ficasse com o ex-governador Sérgio Cabral (PMDB). Depois de lançar do movimento do "Aezão", de apoio ao presidenciável tucano, Aécio Neves, e Pezão, o PMDB passou a pressionar o PSDB para que integrasse formalmente a chapa, cedendo o tempo de TV para o governador.

Os tucanos, por sua vez, não podiam aceitar porque Cesar Maia insistia em ser candidato ao governo do estado. Como o DEM é um aliado nacional, o PSDB teve que resolver o impasse. A vaga de senador na chapa foi, então, oferecida ao ex-prefeito, que desistiu da sucessão estadual. Com isso, DEM e PSDB passaram a integrar oficialmente a chapa de Pezão.

HUGO LEAL DESISTE

Até então candidato ao Senado na chapa de Anthony Garotinho, o deputado federal Hugo Leal (PROS) desistiu da vaga e vai tentar reeleição. Leal queria ser o único candidato a senador da presidente Dilma, mas, com a entrada de Lupi, o cenário mudou.

"Esses últimos cinco dias foram os mais intensos de toda a minha vida política. Ouvi muitos apoiadores, conversei longamente com as lideranças da minha base eleitoral e com meus companheiros de partido. Fiquei muito feliz com as manifestações de apoios, que recebi pessoalmente, em ligações ou mensagens. Agradeço a todos o carinho e a confiança. Porém, uma disputa como essas não depende apenas de um desejo pessoal", afirmou Leal em nota.

O PROS indicou a deputada Liliam Sá para concorrer ao Senado no lugar de Hugo.

via O Globo

Nenhum comentário: