Sérgio Cabral, Cesar Maia e Pezão fecham aliança no Rio


Adversários ferozes até outro dia, o ex-governador Sérgio Cabral (PMDB), o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) e o vereador Cesar Maia (DEM) anunciaram nesta segunda-feira uma chapa para disputarem unidos as eleições de outubro. Cabral abriu mão da candidatura ao Senado para que o candidato seja Cesar. Em troca, o ex-prefeito apoiará Pezão ao governo do estado. 

Assim, o movimento Aezão, de apoio à candidatura presidencial de Aécio Neves (PSDB-MG) e à de Pezão ao governo, torna-se oficial e sela de vez o afastamento do PMDB do Rio da presidente Dilma Rousseff (PT).

Após semanas de negociação, a articulação foi fechada na manhã deste domingo, no apartamento de Aécio, em Ipanema, em uma reunião que incluiu o tucano, Cabral, Pezão, Cesar e o presidente estadual do PMDB, Jorge Picciani, principal aliado de Aécio no Rio.
A aliança foi uma resposta à que foi fechada na última sexta-feira entre PT e PSB para eleger o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) ao governo estadual e o deputado federal Romário (PSB-RJ) ao Senado.

O prefeito Eduardo Paes (PMDB) não foi ao encontro e, na noite deste domingo, reprovou a chapa, criticando a escolha de Cesar, seu antecessor e desafeto.

“O conjunto de avanços que o Rio e a população vêm colhendo nos últimos anos é resultado de uma soma de forças políticas que têm trabalhado de maneira coerente na busca por uma cidade melhor, mais justa e mais integrada. Em função dessa mesma coerência, e para que o Rio de Janeiro não corra o risco de voltar a ser um campo de batalha, onde o maior prejudicado é o cidadão, continuo defendendo a chapa Dilma, Pezão e Dornelles”, disse, em nota, referindo-se ao atual senador, Francisco Dornelles (PP-RJ). E acrescentou: “O que se vê agora é o bacanal eleitoral”.

Aliados peemedebistas afirmaram que a posição de Paes foi combinada com Cabral, Pezão e Picciani.

— O objetivo é ter pelo menos no Paes uma ponte com a Dilma, por mais que toda a estrutura do partido esteja voltada para fazer campanha para o Aécio — afirmou um aliado, pedindo anonimato.
Procurada na noite deste domingo, a assessoria de Paes afirmou não ter localizado o prefeito.

Via Extra




Comentários