segunda-feira, 2 de junho de 2014

Movimento pede impeachment do prefeito de Petrópolis Rubens Bomtempo


Um movimento a margem de partidos políticos organizado por internautas pede a cassação do prefeito de Petrópolis Rubens Bomtempo do Partido Socialista Brasileiro (PSB) através de uma petição pública online que pode ganhar as ruas ainda esta semana. ASSINE AQUI

Em apenas um ano meio o governo enfrentou duas grandes crises com a merenda escolar 2013/2014, falta de professores, fortes cobranças sobre o destino de R$ 2 milhões referentes ao cancelamento dos carnavais 2013/2014 que segundo a prefeitura seriam investidos na saúde, falta de médicos nas UPAs de Cascatinha e do Centro, sobrecarga do Hospital Alcides Carneiro com aumento desumano de filas ao ar livre nas madrugadas para marcação de consulta, obras faraônicas que ganharam destaque como a Praça da Liberdade que apesar do investimento acima de R$ 2 milhões não apresentou grandes mudanças e em poucos meses já apresenta sinais de desgaste, a tentativa de cancelar a lei de isenção de IPTU para os idosos e por último o lançamento de uma revista com mais de trinta páginas com os ‘feitos’ do governo amplamente criticada por mostrar uma realidade surreal que em nada lembra o dia a dia de lutas e sofrimento da população petropolitana. ASSINE AQUI

Petrópolis vive hoje um dos piores momentos da história da democracia nas terras de Pedro II, após dez anos de governo e um desgaste natural, Rubens Bomtempo em seu segundo ano do terceiro mandato ocupa as páginas e colunas dos principais veículos de comunicação do estado após ser condenado pela 1ª Câmara Cível por improbidade administrativa e dano ao erário (dinheiro) público. Ele é acusado de contratar o Banco Bradesco para fazer o pagamento dos servidores municipais sem a realização de processo licitatório e de não esclarecer onde foram investidos os R$ 5 milhões recebidos de contrapartida. Veja aqui.

Confira o texto publicado no site AVAAZ:




Um comentário:

G. Messeder disse...

Meu caro Eduardo. Não podemos nos esquecer que foi o povo que o colocou no assento que ele usa. Este mesmo povo quer velo de costas e longe do assento em referência. Cabe a nós, que tomamos conhecimento do abaixo assinado colaborar ativamente para o inativo suma!
Claro sem mexer no tempo. Este não tem nada com isso!