Indicação de Rossi oferece oportunidade de Aulas de inglês, francês e espanhol para comerciários



Ascom: A Rua Teresa está se preparando para lucrar com turistas estrangeiros - cerca de 45 mil pessoas apenas na contagem do Museu Imperial – que visitam a cidade anualmente. Iniciam  segunda-feira (30), no Centro de Moda, as aulas gratuitas de inglês e espanhol, para os comerciários e as de francês, também incluídas no programa, começam em duas semanas.

Pela primeira vez o pólo de modas investe em uma capacitação para receber visitantes internacionais. A parceria une a Associação da Rua Teresa (Arte) e a Fundação de Apoio à Escola Técnica do Rio de Janeiro (Faetec). Os cursos são uma indicação do deputado estadual Bernardo Rossi (PMDB) ao governo do Estado.

Estão sendo disponibilizadas 150 vagas e o excedente já forma uma lista de espera para novas turmas. "Estamos levando ao governo do Estado a repercussão e o interesse das pessoas nesta formação para que mais turmas sejam abertas logo em seguida. A meta é que o programa seja permanente", defende Bernardo Rossi. Para o parlamentar, o público internacional é comprador em potencial em todo o comércio da cidade e a experiência bem sucedida no polo pode ampliar os cursos para outros locais como Bingen e Itaipava.

"Petrópolis tem de estar preparada para os eventos esportivos internacionais na capital e que refletem em cidades próximas como a nossa, mas também para o público constante vindo de outros países atraído por nossa história e cultura", afirma o deputado petropolitano.

Os cursos, com 14 meses de duração, vão formar os comerciários com uma boa base em inglês, francês e espanhol. A proposta é que as pessoas não apenas decorem frases prontas e sim aprendam uma forma básica de comunicação e, principalmente, alcancem uma boa fluência.

"Um curso de inglês conceituado hoje custa em média R$ 350 ao mês. Oferecer uma formação sólida e de graça é uma oportunidade muito boa", destaca Bernardo Rossi.

As turmas foram montadas com apenas 25 alunos em cada uma delas. Foram oferecidos horários variados de manhã, tarde e noite para que os comerciários pudessem conciliar trabalho e estudo.
A procura pelos cursos foi tanta que já há uma lista de espera para mais turmas.

Os lojistas que estão liberando seus funcionários nos horários também entendem que fazem um investimento para seus negócios e para toda a cidade. "Esta mentalidade nos dá ainda mais força para pleitear mais recursos neste sentido para a Rua Teresa, que é o coração econômico da Cidade Imperial", afirma Bernardo Rossi.

“São bem-vindos todos os valores que podem ser agregados ao comércio da Rua Teresa para que o polo seja sempre referência no Estado e cresça”, afirma a presidente da Arte, Cláudia Pires.